JAMAC – Jardim Miriam Arte Clube

Em 2003, quando mudou-se para o Jardim Miriam, a artista plástica Mônica Nador tinha a intenção de criar um ateliê aberto ao público. Ela queria, por se tratar da periferia da cidade de São Paulo, mostrar àquela população não só arte, mas outras possibilidades de ver e viver o mundo.
A proposta da artista ganhou corpo e nome: JAMAC – Jardim Miriam Arte Clube. O ateliê virou cenário não só para a produção cultural, mas também para ativismo social. Quando chegou com a ideia de trazer cultura, Mônica teve de lidar com a desconfiança dos moradores do bairro da zona sul paulistana. Porém, logo o espaço cultural foi percebido como ponto de encontro, onde as pessoas poderiam se sociabilizar. Em geral, nas periferias, as pessoas se encontram para conversar em bares e igrejas. O ateliê tornou-se mais uma opção.
Atualmente, o JAMAC possui quatro projetos: Paredes Pinturas, pontapé do JAMAC, é fruto do mestrado de Mônica, que pinta os muros do bairro com desenhos dos próprios moradores; Estamparia, desde 2012, promove arte, renda e sustentabilidade à entidade; Projeto JAMAC Cinema Digital, além de workshops e cursos de animação, promove um olhar crítico à realidade do bairro; e Café Filosófico, criado em 2007, que reúne mensalmente intelectuais e professores de instituições, como a USP.
Desde 2005, o JAMAC virou uma Organização de Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), devido aos serviços sociais realizados no bairro Jardim Miriam.
Se você se interessou pelo trabalho idealizado por Mônica Nador, Clique aqui e conheça mais sobre as atividades que o JAMAC vem realizando.
Share this:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Digite seu nome, e-mail e um comentário.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>