Por que elegemos “Fábulas de Esopo” como o livro do mês de Outubro?

Fábulas de Esopo reúne algumas das histórias mais conhecidas de um dos maiores criadores desse gênero. As narrativas trazem as características típicas da fábula: a linguagem simples, com frases curtas e diálogos diretos, e a reflexão moral sobre o comportamento humano feita por meio da fala e das atitudes dos animais, que aqui são os grandes protagonistas.
São textos como “A cigarra e as formigas”, “O leão e o rato” e “A águia e a tartaruga”, em que o comportamento dos bichos expressam vícios e virtudes, além de retratar de maneira poética os ritmos e as transformações da natureza. 
O interesse permanente das fábulas se deve ao conteúdo moral que elas expressam. Ao final de cada texto, há uma frase que resume o sentido filosófico e ético da história contada. Essa moralidade permanece atual, incitando à reflexão sobre valores como a amizade, a confiança, a dedicação, a humildade, a justiça e o respeito à natureza. 
As fábulas levam os leitores a perceber o conteúdo de injustiça, de soberba e de desigualdade que muitas vezes atravessa as relações entre as personagens. Assim, as narrativas permitem chamar a atenção para as desigualdades, provocar reações de indignação e persuadir a respeito dos comportamentos sociais mais recomendados. 
Originalmente, as fábulas eram contadas oralmente, por narradores anônimos. De geração a geração, as fábulas de Esopo foram se transformando e passaram por variações e diferenças, até ganhar forma escrita. Esopo viveu na Grécia, entre os séculos VII e VI a.C., provavelmente como escravo.
A origem do fabulista despertou o interesse da escritora sul-africana Beverley Naidoo. Como ela mesma explica no livro: “Hoje acho que Esopo era africano. Ele foi provavelmente capturado em algum lugar na África Setentrional e obrigado a ir para a Grécia. Seu nome soa como a antiga palavra grega para o negro africano: etíope. Alguns dizem que ele era tão sábio e perspicaz que seu mestre o libertou e ele se tornou conselheiro do rei.”
As ilustrações do livro são feitas em aquarela por Piet Grobler. Além de retratar de maneira divertida as personagens humanas e animais, elas utilizam elementos decorativos africanos nas molduras que enquadram as imagens.
 
Clique aqui e conheça o projeto de leitura que Edições SM elaborou para o trabalho com esse livro.
Share this:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Digite seu nome, e-mail e um comentário.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>