Por que elegemos “De cara para o futuro” como o livro do mês de Julho?

O menino Gabriel, 16 anos, acaba de perder o pai. Quando De cara para o futuro tem início, ele está ocupado com a dor da orfandade, com suas novas responsabilidades, a reação dos parentes, a solidão da mãe, dona Eulina, o casamento da irmã, Gilca, e a ausência do irmão, Ulisses, que fugiu de casa.
O garoto tinha posições políticas diferentes das do pai. Aliás, não gostava nada daqueles políticos amigos da família e dos correligionários. Todas as vezes que ouvia um discurso, sentia agonia. Mas agora que o pai morreu ele sente remorso e se pergunta: “Valeu a pena discordar do pai?”.
De cara para o futuro é a história de um menino na aventura da descoberta de si mesmo, com surpresas não apenas sobre a amizade e as novas relações familiares que surgem com a ausência paterna, mas também sobre a situação política brasileira. A narrativa se passa no interior de um estado do Nordeste, durante a década de 1960, quando o Brasil passava por um grave momento político: estava mergulhado na ditadura militar, instaurada pelo Golpe de 64.
No anexo do livro, intitulado “Quer saber”, o leitor encontrará informações sobre a ditadura, sobre a história brasileira contemporânea e sobre a cultura da época. Além da situação política opressiva, que durante o início do regime militar opôs os partidários da Arena e do MDB, o país ingressava num período de crescimento, o chamado “milagre econômico”, e passava por mudanças culturais: o surgimento da Bossa Nova, da Tropicália, da MPB e do Cinema Novo.
De cara para o futuro propõe uma reflexão sobre valores como o respeito nas relações familiares, o amadurecimento individual, os comportamentos sociais e a vida pública. Voltada para leitores maduros e reflexivos, a obra faz parte da coleção Muriqui, de livros sobre temas centrais da atualidade. As histórias dessa coleção discutem a importância de valores como o respeito ao outro, a tolerância e a diversidade.
A leitura desta narrativa é uma oportunidade para discutir novas configurações familiares e para entender como tantas mudanças aconteceram ao longo da conturbada história recente do país. De cara para o futuro possibilita que cada leitor reflita sobre sua própria história familiar, sobre sua atuação coletiva e seus projetos de vida.
 
Clique aqui e conheça o projeto de leitura que Edições SM elaborou para o trabalho com esse livro.
Share this:
2 Comentários para Por que elegemos “De cara para o futuro” como o livro do mês de Julho?
  1. edina de amorim santos Responder

    Lendo os comentarios de Cara para o Futuro ,achei interessante por abordar temas tao importante de maneira clara e reflexiva , o mesmo chama a atençao de diversos acontecimentos historicos.

  2. edina de amorim santos Responder

    Parabens pela divulgaçao de material de apoio ao trabalho pedagogico , muito bom o livro que apresentaram esse mes. Temas historicos e reflexivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Digite seu nome, e-mail e um comentário.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>